Dr. Mario Warde na mídia

Homens se rendem a tratamentos estéticos, mas existem condições

Depilação, toxina botulínica, cremes diurnos e noturnos, lipoaspiração, redutores de medidas e próteses de silicone. Seus dias como exclusivas armas femininas na busca da beleza física estão com os dias contados. Mais e mais homens estão deixando de lado antigos preconceitos e engrossando as fileiras de clientes de clínicas de estética, cirurgiões plásticos e dermatologistas em busca de um visual mais apresentável.

Os motivos para isso são variados. É uma cobrança hoje do mercado de trabalho que os homens estejam com uma aparência sempre saudável e chega a ser pré-requisito para contratações em algumas empresas. “Para competir na vida hoje em dia, o homem tem que estar bem”, disse Valéria Leal, cirurgiã plástica e dermatologista responsável pela Clínica Cidade Jardim em São Paulo. “Homens sempre foram vaidosos e agora as técnicas de tratamentos estéticos estão ficando mais acessíveis e com maior divulgação.”

 

Leia mais 

A mulher com HIV e a lipodistrofia devido ao uso de antiretrovirais

Dia 8 de março, Dia Internacional Mulher. Por que? No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, na cidade norte americana de Nova York, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como redução na carga diária para dez horas (as fábricas exigiam 16), equiparação de salários com os homens (elas recebiam, na mesma função, até um terço do salário deles) e tratamento digno dentro do ambiente de traballho. A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano. Somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o Dia Internacional da Mulher, em homenagem às que morreram na fábrica em 1857. E só no ano de 1975, por meio de um decreto, a data foi oficializada pela Organização das Nações Unidas (ONU).

 

Leia mais 

Especial LIPODISTROFIA: O que é a síndrome que altera o corpo das pessoas vivendo com HIV/aids e como ela se desenvolve

“Para mim, foi pior do que quando recebi o diagnóstico de HIV positivo.” É assim que Silmara Retti, escritora e fundadora do Instituto Blablablá Posithivo, de Ubatuba (litoral de São Paulo), descreve o sentimento que a acometeu quando notou que estava desenvolvendo a lipodistrofia. Iguais a ela, milhares de mulheres vivendo com HIV/aids sofrem ao enxergarem no espelho a própria imagem alterada. “Homens também, mas nas mulheres a mudança é mais visível, pois seus corpos ficam masculinizados”, explica Mário Warde, cirurgião plástico do Instituto de Infectologia Emilio Ribas.

Por causa do impacto dessas alterações físicas na autoestima das pessoas, com reflexo em todas as áreas da vida, principalmente na saúde, a Agência de Notícias da Aids começa a publicar hoje uma série de matérias sobre o assunto.

 

Leia mais 

Lipodistrofia altera corpo de quem vive com Aids; entenda o problema

Para mim, foi pior do que quando recebi o diagnóstico de HIV positivo.” É assim que Silmara Retti, escritora e fundadora do Instituto Blablablá Posithivo, de Ubatuba (litoral de São Paulo), descreve o sentimento que a acometeu quando notou que estava desenvolvendo a lipodistrofia. Iguais a ela, milhares de mulheres vivendo com HIV/Aids sofrem ao enxergarem no espelho a própria imagem alterada. “Homens também, mas nas mulheres a mudança é mais visível, pois seus corpos ficam masculinizados”, explica Mário Warde, cirurgião plástico do Instituto de Infectologia Emilio Ribas

Por causa do impacto dessas alterações físicas na autoestima das pessoas, com reflexo em todas as áreas da vida, principalmente na saúde, a Agência de Notícias da Aids começa a publicar hoje uma série de matérias sobre o assunto.

 

Leia mais 

Falta de informação sobre lipodistrofia gera polêmica entre ativistas de SP

De acordo com representante do Ministério da Saúde, médicos não encaminham pacientes para os serviços especializados nessa área.

Presente na reunião mensal do Fórum de Organizações Não-Governamentais ligadas a causa da Aids no Estado de São Paulo (Fórum de ONG/Aids), Kátia Abreu, da área de assistência do Departamento de DST, Aids e Hepatites Virais, do Ministério da Saúde, disse que “os médicos na ponta (infectologistas) talvez ainda não compreendam seu papel no encaminhamento cirúrgico”.

 

Leia mais 

O QUE É BOTOX E PARA QUE É UTILIZADO

A aplicação de Botox é um dos procedimentos não cirúrgicos mais requisitados nos consultórios de medicina estética e cirurgia plástica. Cada vez mais, homens e mulheres se submetem as injeções da toxina botulinica tipo A (Botox, Dysport, Prosigne), visando acabar com aquelas incômodas rugas de expressão. Como age o Botox (Toxina Botulinica Tipo A)?

Um dia você se olha no espelho e percebe o aparecimento de rugas de expressão na testa e ao redor dos olhos, os famosos pés de galinha, dando um aspecto de face cansada e envelhecida, que, certamente, não combinam com seu espírito jovial. Então você se pergunta, de onde vieram essas rugas de expressão? Sempre que nos expressamos, rimos ou choramos, os músculos da face se contraem.

 

Leia mais 

Cirurgia plástica promete rejuvenescimento do olhar

Conheça o procedimento que levanta a sobrancelha de forma menos invasiva e mais eficaz

Alguns fatores como a idade, problemas na musculatura ou causas genéticas podem deixar o olhar pesado e envelhecido, com uma queda das sobrancelhas. A situação pode se agravar, a ponto de o paciente ter seu campo de visão reduzido pela pálpebra caída.

A solução para o problema, como explica o cirurgião plástico Dr. Marcelo Assis, pode ser a cirurgia plástica. Antigamente essa intervenção era feita apenas em pessoas com mais idade, acima de 50 anos. Porém, hoje em dia, é comum pacientes jovens virem ao consultório interessados no procedimento, já que a idade é apenas um dos fatores causadores desse mal. Além da idade e das questões genéticas, o cigarro- que causa perda de elasticidade da pele e perda de colágeno- é também uma das causas do problema.

 

Leia mais